quinta-feira, 22 de março de 2018

LIFE IS STRANGE: BEFORE THE STORM - Análise


Developer: Square-Enix

Consola:
  • PlayStation 4 Pro
  • Razer Raiju Controller
  • Razer Leviathan Sound System

PC:
  • Keyboard Razer Epic Chroma
  • Mouse Razer Naga Epic Chroma
  • Monitor AOC U3277PWQU

Mobile:
  • LAIQ Glow

Depois de um primeiro jogo que foi um enorme sucesso devido a uma história que dificilmente se esquece, agora Life is Strange está de volta. Mas valerá a pena regressar?

O primeiro Life is Strange conseguiu emocionar os jogadores que lhe deram uma oportunidade. Com um enredo complexo e emocional, a história levava-nos a conhecer um grupo de adolescentes, com grande foco numa rapariga e em certas características que a tornam única. Com um final brutalmente marcante, ficou sempre a dúvida se voltaríamos a esta história e agora a espera acabou.



Nesta edição final com todos os episódios da prequela e ainda material de bonús, estamos perante a prequela do primeiro Life is Strange e serve para conhecermos melhor algumas personagens. Desde o início que percebemos que o enredo será bom. Sim, também é verdade que não consegue estar ao nível da história do primeiro jogo, mas o próprio contexto não o permite, pois aqui iremos ver como tudo começou. É verdade que continuam a existir diálogos que não parecem fazer sentido nem dar nada de novo à história ou desenvolvimento de personagens, mas ajudam a que o jogo pareça ser a vida normal, em que nem todos os momentos são decisivos. Mas a construção da personagem está lá, mesmo que indiretamente.



Olhando para a história, o que se deve aplaudir é como a narrativa muda desde a fase inicial, consoante as nossas escolhas. A isto junta-se o facto de que não poderemos voltar atrás após a decisão, e com isso o jogador sente constantemente o peso das suas decisões. É isto, em última análise, que tornou o primeiro jogo tão bom, e que aqui volta a criar ambiente: as nossas decisões, por vezes bem pensadas, por vezes impulsivas.

Com uma banda sonora interessante e uma componente gráfica que dentro do seu estilo não falha, apesar de em nenhum momento ser um portento, Life is Strange: Before the Storm consegue ser competente em termos técnicos. Continua a ter alguns problemas, como a sincronização de vozes com as faces dos personagens, mas nada de realmente importante. Claro que estes problemas o jogo anterior também apresentava, mas a história conseguiu tapar todos esses defeitos. Aqui a história demora um pouco mais a acelerar, mas como já conhecemos as personagens, a ligação é bastante rápida e acolhedora. Sabe bem voltar a este mundo e a viver com estas personagens.



Com uma jogabilidade simples e muito focada nas nossas decisões, o foco é a história. A ligação entre mãe e filha ganha algum peso no início, sendo, obviamente, sempre um tema muito explorado na adolescência de uma personagem, e depois desenvolve-se para temas mais fortes e que quase sempre parecem normais e atuais. É, obviamente, um jogo mais realista do que o primeiro. Mais focado na sociedade, nas persoangens, no que a vida exige de nós e na ligação que criamos entre pessoas. Gostei do jogo mesmo sem este alcançar os momentos marcantes do primeiro. Se gostaram do primeiro jogo, então têm de jogar este!
 


Jogabilidade - 83
Gráficos - 76
Som - 75

Enredo - 80

NOTA FINAL - 80

Luís Pinto







Sem comentários:

Publicar um comentário